cachorro-raca-pinscher

Não é por acaso que o Pinscher é tão querido pelas famílias; carinhoso e muito encrenqueiro ele vem compondo as famílias durante muitas gerações. Um fiel companheiro para quem mora em lugares não tão espaçosos. Descubra tudo sobre essa raça tão “esquentada” e fofa!

Ficha técnica

• Peso: 3kg a 6kg
• Altura: 25cm a 31cm
• Grupo AKC: Toys
• Grupo CBKC: Grupo 2
• Outros nomes: Zwergpinscher, Pinscher miniatura, Min Pin
• Expectativa de vida: 12 a 15 anos
• Origem: Alemanha
• Preço estimado: R$600 a R$2.000

Histórico

Originário da Alemanha, o Pinscher mais parece uma versão reduzida do Doberman, outro cão da mesma região. Ele também é conhecido por outros nomes, como Min Pin, kings of toys (Rei dos “Brinquedos”, alusão ao grupo toy) e Zwergpinscher (Zwerg = anão).

Embora muitos achem que o Doberman veio antes, e posteriormente os criadores desenvolveram um animal menor, estudiosos afirmam que o Pinscher é pelo menos 200 anos mais velho.

No seu país de origem ele era bastante famoso por caçar animais daninhos, como ratos. Após sua fama se espalhar pelos países ao redor da Alemanha, a raça começou a ganhar o mundo. Em 1900, após aparecer em uma exposição de animais em Stuttgart, Alemanha, o Pinscher chamou a atenção de criadores dos Estados Unidos, que não perderam tempo e rapidamente importaram o animal para um novo continente.

Em 1925 houve o registro da raça no American Kennel Club. Inicialmente o cão foi relacionado ao grupo Terrier, devido às suas caracaterísticas de caça. Entretanto, quatro anos depois, com a criação do Pinscher Club of America, ele passou a ser considerado um Toy, ao qual pertence até os dias atuais.

Por volta de 1950, a raça voltou a ganhar fama na Europa, principalmente na França e Grã-Bretanha, pois o animal se adaptou muito bem às condições desses países.

Atualmente a raça ocupa a 40ª posição no ranking da AKC, que computa a lista da população de cães nos Estados Unidos, mas ele já chegou configurar entre as 20 raças mais criadas no país.

cachorro-raca-pinscher

Características físicas do Pinscher

Muitas pessoas não sabem identificar o Pinscher pelo nome oficial quando se depara com o animal, mas todos sabem qual é aquele cão que parece um “ratinho”.

Como falamos no início do texto, muitos dizem que essa raça é o Doberman em miniatura. Realmente a aparência física dos dois se assemelha muito, a diferença está nos quilos e centímetros a mais.

A cabeça é levemente alongada e proporcional ao corpo. Embora seja de pequeno porte, seu corpo é firme e bem postado. As orelhas são pontudas e eretas, dando ar de alerta ao animal. Muitas pessoas, de maneira irresponsável, ainda cortam a cauda do Pinscher, embora isso não contribua pra nada na saúde dele.

Em relação a cor, não há muita variação, podendo ser de uma só (vermelho corça, do marrom-avermelhado ou marrom-avermelhado escuro), preto ou castanho.

Comportamento do seu Pinscher

O Pinscher não é conhecido apenas pelo seu porte, mas também pelo temperamento. Isso é percebido no seu comportamento, pois ele não tem muita noção do seu tamanho.

Ele é destemido, valente e às vezes estressado, e não é raro ver um cão da raçã arrumando encrenca na rua. Embora não tenha tamanho para isso, o Pinscher é muito utilizado como cão de guarda, pois está sempre em alerta e faz muito barulho quando preciso.

Fora esse lado “estressado”, ele é muito apegado ao seu dono, sendo muito fiel e companheiro. Ele também estende esse afeto às pessoas que convive com mais frequência.

Por ser um caçador nato, o animal é bastante curioso, então esconda bem alimentos e objetos que você não queira que ele ache com facilidade. A ração, inclusive, pode ser o principal alvo das buscas do seu pet.

Para ajudar no comportamento do animal, é fundamental que o tutor procure adestrá-lo desde cedo. O Pinscher ocupa a 37ª posição entre as 79 posições das raças mais inteligentes, por isso educá-lo talvez não seja tão fácil.

Alimentação do Pinscher

É fundamental que o tutor saiba não só dosar a quantidade de comida oferecida ao seu pet, como também escolher o melhor alimento e a frequência certa. Para isso, conte com a ajuda do seu veterinário, pois só esse profissional vai poder fazer adaptações às necessidades do seu animal.

Embora seja pequenino, o Pinscher é muito faminto, e vai procurar comer toda ração que encontrar pela frente. Por isso, evite deixar o pote dele sempre cheio. O ideal é oferecer a quantidade indicada pelo veterinário e esperar o animal comer. Depois de um tempo, retire o que sobrar e jogue no lixo.

Isso pode parecer desperdício, mas não é aconselhável guardar ração que já foi oferecida ao animal junto com as que ainda estão em estado natural.

Muitos cães percebem que uma ração reaproveitada está no seu pote, e ele pode acabar não querendo se alimentar dela.

Em relação a que tipo de alimento comprar, é indicado conversar com o veterinário quanto a isso, pois alguns Pinschers necessitam de cuidados especiais, principalmente relacionado à ração. Mas no geral, a premium já está de bom tamanho para suprir seu pet nutricionalmente.

cachorro-raca-pinscher

Cuidados Especiais

O Pinscher é uma raça que se adequa facilmente a diversos tipos de ambientes, embora seja preciso atenção às exigências do animal. Ele possui algumas particularidades que devem ser levadas em consideração por quem deseja adquirir a raça.

Por isso, listamos aqui abaixo algumas recomendações que são importantes de saber antes de colocar um filhote da raça para dentro de casa.

Atenção com o peso do Pinscher

Como falamos anteriormente, embora seja um animal de porte pequeno, o Pinscher tem muita energia e precisa se alimentar bem para conseguir fazer tudo que quer.

Por isso, seu apetite não é condizente com seu tamanho. Se for oferecido uma quantidade maior de ração do que ele aguenta, saiba que o animal vai acabar comendo tudo. Por essa razão não é difícil encontrar um cão da raça com problemas de peso.

Escovação do Pinscher

A pelagem dessa raça é curta e lisa, não dando muito trabalho para o tutor. Entretanto, é indicado que ela seja escovada uma ou duas vezes por semana.

Banho do Pinscher

Por ter a pelagem curtinha e lisa, essa raça não se suja com frequência. Portanto, não é preciso banho com muita repetição. Caso a higienização seja feita pelo próprio tutor, é fundamental que sejam utilizados produtos indicados para animais, tanto shampoo quanto sabonete.

Exercite o seu cão

Você deve ter percebido que essa raça historicamente está habituada a fazer muito exercício. Então procure fazer longas caminhadas e brincadeiras sempre que possível. Além de fazer bem à saúde física, vai ser fundamental para que o seu cão se sinta amado, pois ele adora passar longos períodos ao lado do dono.

Problemas de saúde

Por ser pequeno, magro e bastante ativo, é comum o Pinscher apresentar problemas ósseos. Muitos deles passam o dia correndo pela casa, pulando de cadeiras e sofás, correndo o risco de ocasionar lesões. Por isso tenha cuidado e eduque seu cão para que ele se comporte em casa.

Curiosidades do Pinscher

O Pinscher é uma raça muito adorada pelos donos, embora outras pessoas o considerem muito estressado e briguento. Assim como as outras raças, ele tem as suas especificidades e curiosidades que só quem cria sabe. Segue abaixo alguns fatos interessantes para que você conheça mais sobre esse animal tão especial.

1. Segundo uma pesquisa realizada em 2017, essa raça é a terceira preferida pelas famílias brasileiras, ficando atrás apenas do vira-lata e poodle;

2. Embora pareça muito com o Doberman, não tem nenhum parentesco comprovado entre as raças;

3. É uma das raças onde é feita a caudectomia, ato de amputar a cauda do animal;

4. Ele é bastante amoroso com seus tutores, mas não é aconselhável para casas onde tenham crianças menores ou bebês, pois eles latem muito e são muito energéticos;

5. O nome Min Pin é uma abreviação de miniatura Pinscher.

Reprodução e filhotes

A primeira dica que damos é procurar acasalar animais com alta qualidade física e comportamental, para que os filhotes nasçam sem problemas. As características do Pinscher são muito particulares, então isso evita que nasça um cãozinho que saia do padrão.

Quando a fêmea e o macho tiverem em contato durante o período indicado, procure alimentá-los com ração de alta qualidade. É muito importante ficar atento aos sinais que a fêmea exprime em relação ao macho, pois não é indicado que se force o acasalamento quando ela está arredia com o parceiro.

Quando os filhotes nascem, é fundamental dar as primeiras vacinas tanto para as novas crias como para a nova mãe. Muitas pessoas que fazem o acasalamento do animal em casa esquecem desse detalhe, que pode trazer sérios riscos à saúde dos bichos.

Como esperado, a ninhada do Pinscher é composta por animais muito pequenos, então os tutores têm que dar atenção e auxiliar no que for preciso para que os animais fiquem saudáveis nas primeiras semanas.

cachorro-raca-pinscher

Por que ter um Pinscher

Bem, em tempos atuais onde as pessoas cada vez mais acabam morando em casas e apartamentos menores, o Pinscher se torna o cão ideal. Ele se adpata bem a locais pequenos e fica confortável com um cantinho só para ele.

Se você está a procura de um animal que fique alerta a todo momento, essa raça também é ótima. Não espere que outras pessoas fiquem com medo dele, pois o tamanho não ajuda muito. Mas se for para fazer barulho, pode contar com o Pinscher.

A manutenção dele também não é cara. Ele não consome muita ração durante o mês, não precisa de banho com frequência e se for tratado com cuidado, idas ao veterinários só quando precisar fazer algum exame de rotina.

Por ter muita energia, é indicado para famílias que tenham crianças de mais idade, que já consigam interagir com o animal e gostem de brincar com ele.

Por que não ter um Pinscher

Primeiramente, ele é muito barulhento. Isso ainda pode se agravar caso o animal não se exercite ou viva em um ambiente inadequado. Atividade física, por sinal, é essencial para que o Pinscher cresça saudável.

Embora ele seja pequeno, essa raça tem muita energia, e precisa gastá-la ao longo do dia. Isso pode ser feito com algumas brincadeiras ou passeios. Portanto, se você não tem tempo disponível para dar esse tipo de atenção, melhor escolher outra raça. Ele também pode ser encrenqueiro e desobediente, por isso o tutor precisa ter pulso firme e mostrar ao animal quem está no comando.

Como, onde comprar e o preço

A primeira coisa que você deve se preocupar antes de comprar um Pinscher é procurar boas referências sobre os locais que trabalham com essa raça. Como falamos anteriormente, essa é uma das raças preferidas pelos brasileiros, então muito criadores se aproveitam disso para vender animais sem muito critério.

Busque referência com quem já adquiriu um cão da raça, isso já ajuda a saber as dificuldades encontradas por quem tem um animal igual. Caso procure anúncios em jornais, revistas ou internet, desconfie de preços e condições fora do normal. Embora um Pinscher não seja tão caro, ele pode variar muito de preço de acordo com o local de criação, das características do filhote e as particularidades dos pais.

Quando for visitar o local que deseja obter o cão, vá com o máximo de informações possíveis sobre a raça, como tamanho, peso, cores, características do focinho, rabo, dentes, e faça perguntas para avaliar se o proprietário tem domínio sobre o assunto. A não ser que seja um conhecido seu e que haja total confiança entre as partes.