basenji no campo

O Basenji é uma raça pouco conhecida pelas pessoas, mas quem conhece se apaixona instantaneamente pelo pet de olhos tão sérios e profundos. Ele é um cachorro independente, mas carinhoso e amável com o dono. Adorando brincar e dar longas caminhadas, é perfeito para quem tem alergia e quem mora em apartamento, pois quase não solta pelo e quase não late. Continue lendo para conhecer mais essa raça tão elegante.

Ficha técnica

• Peso: 9kg a 11kg
• Altura: 40cm a 43cm
• Grupo AKC: Hound
• Grupo CBKC: Grupo 5
• Outros nomes: Cão do Congo, Terrier do Congo
• Expectativa de vida: 10 a 12 anos
• Origem: África Central
• Preço estimado: R$ 1.000 a R$ 3.000

Histórico

O Basenji é uma das raças mais antigas que existem e a sua origem vem da África Central. Seus ancestrais são representados em velhas pinturas de aproximadamente 5 mil anos de idade. No entanto, foi somente nos anos 30 que os primeiros Basenjis foram introduzidos na Europa pelos ingleses. O nome dele significa “camponês”.

No livro “The Transactions of the Society of Biblical Archaeology” (1875), do autor Mr. Birch, os cães Khufu, em 2700 a.C., são mostrados e descritos como cachorros parecido com Spitz. Ou seja, com o focinho curto e pontiagudo e distintamente parecido com o do Fox, além de ter as orelhas pontudas e eretas.

Birch também descreve imagens de um artefato do Faraó Antef II a partir de 2000 a.C. mostrando quatro cães de diferentes raças. Um deles tem o focinho pontiagudo e parece um Fox.

Em 1200 a.C., detalhes em baixo relevo na Mastaba de Akhuthotep exibem um cachorro com a aparência muito semelhante ao Basenji, como se ele estivesse caçando um cervo.

A primeira participação de um Basenji em competições de exibições de cães aconteceu em 1895. Ainda no século 19, eles foram descobertos pelos ocidentais na região do Congo, África Ocidental. Lá, os cachorros eram usados para transporte de mercadorias e para evitar a aproximação de animais perigosos quando estavam no meio da mata.

As primeiras tentativas de levar o Basenji para a Europa não deram certo porque todos os cachorros morreram doentes logo após chegarem ao continente. A primeira importação bem sucedida ocorreu na década de 30 na Inglaterra e nos Estados Unidos.

O Basenji Club of American foi criado em 1942, e o AKC reconheceu a raça em 1943. O Basenji é uma raça rara, ocupando o 840º lugar entre as 155 raças mais reconhecidas pelo American Kennel Club.

cachorro olhando pra cima

Características físicas do Basenji

O Basenji é considerado um cão bonito, de orelhas pontudas. Seu tamanho não é muito grande: os machos têm, em média, 43 cm, enquanto as fêmeas não passam dos 40cm. O pelo é curto e sedoso e pode ser encontrado em três cores: preto, dourado ou tigrado. É mais difícil, mas existem exemplares com a tonalidade tricolor.

A cauda é longa e ele sempre a mantém sobre suas costas, de forma enrolada. As patas são curtas, por isso ele não é um cão de grande porte. A cabeça do Basenji se afina na altura dos olhos até a trufa. A pele do crânio se dobra quando ele está em alerta e levanta as orelhas.

A trufa é preta, os maxilares fortes e mordedura tesoura e pele muito flexível. Os olhos escuros, cor de amêndoa, têm a aparência longínqua. O pescoço tem um comprimento normal, o corpo é proporcional ao peito e bastante robusto e musculoso.

O Basenji tem o andar leve, elegante, alerta e equilibrado.

Comportamento do Basenji

O Basenji é um cão difícil de ser classificado, pois ainda mantém muitas características primitivas, como o fato de não latir, por exemplo. É uma raça extremamente higiênica e independente, sendo considerado um cachorro malicioso e inteligente, principalmente por ter o temperamento parecido com o dos gatos.

Ele gosta de alturas, se lambe sempre e está sempre limpo e sem cheiros fortes. Apesar de serem brincalhões e agitados quando filhotes, tornam-se adultos tranquilos e amáveis com todos, especialmente crianças. O Basenji cria vínculos fortes com o dono, se apegando muito e sofrendo ao ser ignorando.

O pet precisa de estímulos constantes para que não fique frustrado e entediado. Não é uma raça fácil de ser adestrada, e isso acontece porque o Basenji é um cão de caça e está acostumado a tomar decisões sozinho.

Ele não se dá muito bem com outros animais porque gosta de ser o centro das atenções da casa e de trocar carinho com o dono e a família. É um pouco desconfiado com desconhecidos.

Alimentação do Basenji

A alimentação do Basenji deve ser rica em nutrientes de alta qualidade e os alimentos devem ser os recomendados para raças pequenas. A quantidade da ração até os doze meses (quando ainda é considerado filhote) é entre 95 e 140 gramas por dia. Depois de um ano de vida, deve-se mudar a quantidade para 150 ou 160 gramas diárias.

Não alimente o pet com restos de comida e nem o deixe com sede, pois isso traz consequências para o seu organismo.

A água deve ser fresca e estar sempre disponível para o pet. O Basenji não exagera na alimentação, então mesmo que haja muita comida disponível, ele comerá somente o necessário para sua sobrevivência. Por isso, não é necessário se preocupar com as sobras na vasilha.

Organize uma rotina saudável para ensinar o Basenji a obedecer ordens e horários, e leve-o ao veterinário algumas vezes ao ano para ver como está sua saúde.

Cuidados especiais com o Basenji

Cada raça tem as suas necessidades especiais e específicas e não é diferente com o Basenji. São cuidados particulares que os donos precisam ter com os bichos e que são essenciais para que eles mantenham uma boa saúde.

Tópicos como exercícios físicos, limpeza e adestramento serão abordados abaixo, mas lembre-se da importância de ir ao médico veterinário para manter a orientação correta para o seu bicho. A saúde dos cãezinhos é muito importante e não deve ser deixada para depois!

Exercícios físicos

O Basenji precisa de atividade física e mental diariamente para que não fique entediado, frustrado e, consequentemente, destrutivo. Apesar do tamanho pequeno, ele realmente necessita de exercícios como longas caminhadas. É importante exercitá-lo para gastar toda a sua energia.

Limpeza e saúde

O Basenji é uma das raças que menos exigem na hora da limpeza! Seus pelos praticamente não se soltam. Uma escovação semanal é suficiente e, acredite se quiser, ele consegue ficar até 3 meses sem banho, pois é muito higiênico e se lambe o tempo todo.

A maior preocupação em relação à saúde do Basenji é a Síndrome de Fanconi. Cerca de 75% dos exemplares possuem a doença, que é quando os rins apresentam dificuldades na absorção dos minerais essenciais ao organismo. Leve-o ao veterinário pelo menos duas vezes ao ano!

Adestramento

O Basenji tem o temperamento forte e não é fácil de ser adestrado. Caso seja o interesse do dono, ele precisa começar a adestrar o pet antes do que normalmente começaria com outras raças. Entretanto, comandos básicos como sentar, levantar e fazer as necessidades no lugar certo são ensinados facilmente.

Sua posição no ranking de inteligência é a de número 78, mas isso deve mais a dificuldade de seguir ordens do que a falta de capacidade.
O Basenji é um cão pouco conhecido, mas que é apto para todos os públicos. Se você se incomoda com latidos, este é o cão ideal para você e para seus vizinhos.

cachorro olhando para baixo

Curiosidades do Basenji

O Basenji é uma raça muito pouco conhecida pelas pessoas justamente por ser raro. Uma frase famosa sobre o pet é que seus olhos enxergam mais do que nós conseguimos – o olhar do cachorro é famoso, já que é impenetrável e longínquo.

Como os outros cãezinhos, ele possui suas próprias curiosidades. Segue abaixo alguns fatos interessantes para você conhecer mais ainda esse pet adorável.

1. As tribos nativas da África utilizavam o Basenji como caçadores em bando, conduzindo as presas até as redes. Os cães usavam sinos no pescoço quando eram comandados pelas tribos.

2. Eles mantêm várias características primitivas, como a falta de capacidade de latir e a ocorrência do cio apenas uma vez por ano.

3. Existe uma universidade chamada “The Basenji University”que é voltada para as pessoas que têm interesse em se aprofundar mais no conhecimento sobre a raça. Os cursos são online.

4. O Basenji é tão importante na África que já saíram em selos para cartas.

5. Estão na 840º posição entre as 155 raças reconhecidas pela AKC. Por isso, quem deseja se tornar um tutor do Basenji, precisa entrar na lista de espera de um criador.

Reprodução e filhotes

Assim como todas as outras raças, o Basenji tem tendências a algumas doenças, mas isso não é motivo para o dono se preocupar. Todo bom criador afasta da reprodução os cães com problemas hereditários, ou seja, só serão reproduzidos filhotes inteiramente saudáveis. É recomendado que se adquira o cão desses criadores específicos que passem confiança.

Uma dica para localizá-los é checar o ranking de criadores da CBKC ou procurar o Kennel Club mais próximo. O cuidado mais importante é saber da hereditariedade do cão e se seus pais não desenvolveram nenhuma doença que pudesse passar para ele através da genética.

Não apoie as fábricas de cachorros, pois eles financiam os abusos e os maus tratos, além de não se preocuparem com o bem-estar do bicho. Sempre que possível, adote! Para saber mais sobre adoção, continue lendo até o final.

O filhote de Basenji é brincalhão, energético e gosta de passear por lugares novos.

cachorro no jardim

Por que ter um Basenji

Como você viu, o Basenji precisa de exercícios físicos e caminhadas longas diárias para manter a saúde em dia. Se você gosta de pets tranquilos, leais e amáveis, o Basenji é perfeito para você. Ele não solta pelo e não late de forma alguma, o que é muito bom para algumas pessoas.

Além disso, é indicado para donos que moram em casas e apartamentos, já que é relativamente pequeno e calmo. Por fim, lida muito bem com pessoas que apreciam sua companhia, como crianças e idosos.

É uma ótima opção para quem gosta de ter cachorros, mas que não conseguem estar em casa o tempo inteiro, pois o Basenji é independente e gosta da própria companhia – mas não o tempo todo, claro.

Por que não ter um Basenji

O Basenji precisa de socialização desde filhote por ser tão agitado quando é mais novo, portanto, não é recomendado para donos que não tenham tempo de levá-los para passear e realizar exercícios físicos.

Ele pode perseguir gatos, então é importante prestar atenção no relacionamento do Basenji com os felinos. O mais indicado é estimular a relação deles desde pequenos.

Preço, como e onde comprar

Como você viu, o Basenji tem características e históricos bem diferentes das demais raças e, por isso, é um pouco mais caro do que o normal. O preço médio do cão é de R$1.000 a R$3.000, o que o torna um cachorro de custo bem mais elevado.

Embora seja uma faixa de preço aceitável para muitas pessoas, ele pode acabar custando mais dependendo do canil e da criação dos pais do filhote. Existem alguns canis que possuem a raça, basta pesquisar na internet.

Caso você prefira adotar, fique atento aos abrigos de todo o Brasil, pois o Basenji é uma raça rara e difícil de ser encontrada.

De qualquer forma, lembre-se de pesquisar sobre a origem e a família do pet, para ter a garantia de que é a raça pura e saudável. Muitos criadores irresponsáveis só se importam com o lucro, portanto, não deixe de perguntar sobre a saúde e o histórico dele.

Lembre-se: sempre que possível, ADOTE!