Cachorro comendo frutas

Fonte: Pexels.com

Quem tem um cãozinho sabe o quanto é importante se preocupar com a alimentação dele, afinal, uma alimentação nutritiva é o que garante uma boa saúde e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida para o pet. Sobre esse assunto, muitas pessoas costumam ter dúvidas sobre qual o melhor tipo de alimentação que devem oferecer para o seu cãozinho, e isso depende da raça e das características individuais do bicho. Ração ou alimentação natural, você sabe o que pode ser melhor para o seu?

Entenda a alimentação natural para cães

Antes de saber se a alimentação natural é indicada para o seu cachorrinho, é fundamental que você entenda quais são os seus principais tipos. Há muitos debates acerca desse tipo de alimentação, embora alguns especialistas afirmam que essa é a melhor alternativa para o bicho, justamente por ser natural e mais “leve” para o animal.

Por outro lado, há muitos veterinários que afirmam que a ração tradicional é mais nutritiva do que alimentos naturais e, por isso, é a melhor opção para se oferecer ao cão. A verdade é que não há estudos validados, de forma eficaz, que justifiquem qual delas é a melhor.

A dica é buscar um profissional especialista em alimentação, que possa examinar o cachorro e aconselhar se a alimentação natural pode ser oferecida ao seu pet. E caso a resposta seja positiva, você precisa saber quais são os alimentos e com que frequência você vai adotá-los na dieta do bicho.

De maneira geral, a alimentação natural é a oferta de ingredientes naturais, comuns a nós humanos, que podem fazer muito bem ao cãozinho se dada de forma orientada por quem realmente entende. Não escute apenas amigos ou vizinhos na hora em que estiver buscando informações sobre, por mais que essas outras pessoas tenham cães de mesma raça.

Portanto, antes de decidir sobre o tipo de alimentação que mais se apropria ao bicho, entenda quais são as principais características dele, desde particularidades da raça, hábitos mais fortes e frequentes, à quantidade de gasto de energia diariamente, entre outros pontos fundamentais que devem ser levados em consideração.

Agora que você já entendeu um pouco sobre alimentação natural para cães, vamos falar sobre os tipos.

Cachorro comendo pão

Fonte: Pexels.com

Tipos de alimentação natural para cães

Para que você entenda, há dois tipos de alimentação natural: crua com ossos e sem ossos; e cozida. Vamos falar um pouco sobre cada uma delas, assim, fica mais fácil de você conciliar com as características do seu bicho e oferecer a ele, caso esse tipo de alimentação seja recomendada por um profissional.

Alimentação natural crua com ossos e sem ossos

Muitas pessoas não acreditam que seja saudável oferecer alimentos crus e muito menos ossos aos cães. Essa também é uma dúvida sua? Essa classificação deixa muitas pessoas confusas, afinal, a comida mais recomendada para os cachorros normalmente são as rações, mas é aí onde as pessoas se enganam.

De maneira geral, as vantagens da alimentação natural crua com ossos e sem ossos são muitas, principalmente em relação aos valores nutricionais, já que será oferecida ao cão uma alimentação rica e bastante variada. Além disso, a carga glicêmica é menor e ela é muito mais saborosa, fazendo o animal, inclusive, produzir menos fezes.

Com certeza você vai perceber diferenças físicas no seu dog, pois ele vai ficar com mais energia e pelos bem mais brilhantes devido à grande quantidade de nutrientes que irá consumir diariamente. Em relação ao valor, se o tutor não preparar o alimento na própria residência, ela pode ser mais cara do que alguns tipos de ração, por exemplo. Normalmente, o valor vai ser equiparado ao da ração premium, mas a qualidade não se compara.

Outro ponto importante é a organização para preparar os alimentos da maneira correta, isso implica escolher os alimentos e separar as quantidade que o cão irá consumir diariamente.  Um suporte veterinário é imprescindível, principalmente nesse primeiro momento. Também será necessário dedicar um espaço na geladeira para armazenar estes alimentos.

Alimentação natural cozida

A alimentação natural cozida não tem espaço para adicionar osso, logo, pode não ser uma boa opção para o cãozinho que gosta dos ossinhos que lhes são oferecidos. E isso ocorre porque, ao cozer, o osso adquire uma consistência perigosa ao cão, podendo machucá-lo ao ser engolido. Logo, o osso só pode estar presente na alimentação crua, para que seja visto e devidamente mastigado pelo cão.

A alimentação natural cozida é mais confiável que a crua, e por isso é mais procurada pelas pessoas que decidem oferecer esse produto ao animal. Apesar de muitos tutores saberem disso, é importante ter acompanhamento nutricional de um veterinário especialista em alimentação, assim como acontece com os humanos.

Como vimos anteriormente, a alimentação crua apresenta algumas restrições e recomendações, e a cozida não é diferente. Ela deve ser oferecida ao animal caso o bicho tenha limitações em relação a tipos de ração, ou caso ele tenha acompanhamento nutricional e esse tipo de comida seja a melhor para a sua saúde.

Cachorro cercado de frutas

Fonte: Pexels.com

O que fazer antes de oferecer a alimentação natural para cães

Antes de iniciar com esse tipo de alimentação, é recomendado que se faça exames no cão para entender como anda a saúde dele. Esse é, na verdade, não só o primeiro passo, mas o mais importante. Esses exames vão te fazer ter certeza sobre o funcionamento do organismo do cachorro, desde o seu trato intestinal, a fatores que podem ser influenciados pela nova dieta.

Após saber dos resultados, caso o cachorrinho apresente algum problema, como diabetes, pancreatite, gastrite ou qualquer outra limitação, opte por uma alternativa mais adequada a ele. Mas caso o animal esteja bem de saúde, a alimentação natural crua, independente se é com ou sem osso, pode ser uma opção para ele sim.

Com todas essas informações, vai ser possível fazer a produção caseira desse alimento, ou então encomendar em alguma empresa com foco nesse mercado, caso você não tenha tempo para fazer a alimentação do seu cão.

Agora, é só decidir qual a melhor opção para o seu bichinho e, colocar a mão na massa!