Adestramento de cães - cachorro oferecendo a pata

Fonte: Camylla Battani / Unsplash.com

Se você tem um cãozinho de estimação, certamente já parou para pensar no adestramento dele. Adestramento é o ato de ensinar, disciplinar e contribuir para um melhor comportamento do animal. O objetivo da prática é ensinar animais por meio de atividades e treinos consistentes, capazes de torná-los mais educados, adaptáveis, além de outras vantagens. Vamos entender mais sobre a importância e como funciona o adestramento?

Importância do adestramento

Muitas pessoas não abrem mão do adestramento. Adestrar animais faz com que eles se tornem mais adaptáveis, educados e até treinados, no caso de cães que precisam desenvolver algum tipo de habilidade.

A verdade é que o adestramento é bastante importante não só para o cão, mas para o seu tutor, que precisa ter pulso firme para lidar com o animal quando ele não é adestrado. O adestramento é capaz de tornar muito mais tranquila a relação do dono com o cachorro.

Na falta de um lugar adequado para o tamanho ou para as necessidades do cão, é comum que ele exponha, sem filtro, o seu temperamento. E essas necessidades podem ser desde a falta do seu alimento preferido, até o local onde ele costuma brincar, dormir ou passear.

Se não for feito o que o cão “exige”, o controle de suas atitudes pode se tornar muito difícil por parte dos donos. Por isso é tão importante o adestramento. Assim, além de facilitar a vida do dog, você consegue fazer com que ele obedeça e se torne um animal treinado e pronto para “enfrentar” o que for.

Cão correndo adestramento

Fonte: Artem Bali / Unsplash.com

Os primeiros passos para o adestramento

Há algumas orientações que podem contribuir para o adestramento do seu cãozinho. Se você tem dúvidas sobre por onde começar, é importante entender, antes de tudo, que existem alguns passos fundamentais para que você comece a treiná-lo de forma tranquila para ambos.

Para sentar

Essa é uma das principais ações que o seu cão precisa aprender desde pequeninho. Alguns cachorros não adestrados têm dificuldades para sentar, por isso, é importante treiná-lo para que ele possa ser independente e fazer isso sozinho quando se sentir confortável. Uma dica para estimulá-lo é segurar um petisco na frente dele e, em seguida, fazer movimentos de sobe e desce com a mão. Assim, o pet vai repetir o movimento com o intuito de pegar o alimento. Repita-o até que ele se sente.

Para deitar

Outra prática que deve ser treinada no adestramento é o deitar. Muitos cães não obedecem quando seus donos pedem que eles se deitem. Quando se sentem “obrigados”, é muito pior, já que eles não costumam obedecer e nem os seus donos pedem com frequência.

O “deitar” para eles, quando não adestrados, faz com que eles se sintam impotentes, e quando nunca foram treinados para obedecer, é comum que eles não façam. Nesse caso, o ideal é começar com movimentos simples usando as próprias mãos. Você pode levantar o braço na frente dele e ir se abaixando, como se fosse deitar, para que ele se sinta igual a você e se abaixe também, até deitar.

Para dar a pata

Muitos donos e amigos de donos, ao verem o cachorro, costumam pedir a pata, você já percebeu? Parece algo simples, mas se não for adestrado, o cachorro nem sempre vai se sentir confortável para dar a pata e brincar com a pessoa. Uma boa dica no início do processo de adestramento é bater na sua mão com os dedos da outra mão e, em seguida, apontar para o local onde o cão deve colocar a pata.

Parece fácil demais para ser verdade, mas é assim que eles costumam obedecer. Nesse e em todos os outros casos, uma boa alternativa é oferecer uma recompensa que ele gosta muito, seja um alimento ou um brinquedo. Assim ele vai se sentir cada vez mais motivado.

Para latir menos

Em muitos casos, cachorros costumam latir de forma exagerada, chegando até a irritar pessoas próximas, sejam os próprios donos ou até mesmo os vizinhos. Normalmente, os cães latem mais do que o necessário quando querem chamar atenção, seja por fome, por falta de atenção ou por alguma dor que estejam sentindo no momento.

Apesar de ser um sinal de que algo possa não estar fluindo muito bem, não esqueça que é possível que ele esteja apenas querendo mostrar que não lhe obedece. Para evitar, reserve pelo menos uma hora do seu dia para levá-lo para brincar, caminhar ou correr. Atividades que o façam gastar muita energia são fundamentais para que eles eliminem aquela energia acumulada e passem a não “incomodar” com seus latidos sem fim.

Para se acalmar

Muitos cães agitados acabam assustando pessoas na rua ou amigos que vão visitar os donos desses pets. A verdade é que eles podem se sentir ameaçados ou podem estar apenas estranhando a pessoa, e isso é muito comum de acontecer, chegando até a constranger seus donos. Uma boa alternativa nesses casos é pisar na coleira e jogar um pouco de água no focinho deles, como forma de repreensão.

O melhor ambiente para o adestramento

Depois de entender um pouco sobre os primeiros passos, você deve imaginar que qualquer lugar serve para o adestramento, mas não é bem assim que funciona. Como você já deve imaginar, esses ensinamentos ao cão não funcionam tão bem na prática como na teoria.

Mas como a nossa missão é contribuir para que você consiga fazer na prática, o mesmo que nós recomendamos aqui, escrevemos todos os detalhes para que o adestramento funcione da melhor forma possível. E um dos pontos é o ambiente que você vai utilizar para ter sucesso na prática. Você já parou para pensar o quanto isso pode ser importante?

Não basta a paciência, a dedicação e a boa vontade. Todos esses pontos são importantes sim, mas não são suficientes. É extremamente importante que o cão seja adestrado em um lugar calmo, onde ele se sinta confortável para obedecer aos comandos do dono.

Antes de tudo, tenha em mente a raça, os gostos e o temperamento do seu cão, pois isso vai facilitar bastante na escolha do ambiente. Além disso, não force o cão a nada. Lembre-se que cada cão vai agir de forma diferente, e por isso é muito importante que você saiba respeitar o tempo dele.

Dependendo das características do cão, é interessante levá-lo a um local aberto, onde ele possa se sentir mais livre. Vale lembrar que o mais recomendado é que este lugar não tenha muitas distrações, pois assim o dog se sentirá mais focado e conseguirá responder aos comandos de forma mais fácil.

Caso o seu cãozinho seja daqueles próprios para apartamento ou até mesmo que ele costume viver em ambientes fechados, não se preocupe, há sempre um cantinho que possa servir para o adestramento. O tapete da sala, por exemplo, pode ser uma boa alternativa.

De maneira geral, o cachorro só precisa de um ambiente tranquilo, sem distrações ou pessoas passando ao redor. Quando não têm o que fazer no lugar, eles realmente prestam atenção nas “ordens” que lhe estão sendo dadas.

Antes de começar o treinamento, você pode brincar um pouco com ele, para que toda a energia acumulada seja eliminada e, durante os treinos, a excessiva agitação não seja um empecilho. Invista sem medo no adestramento, mas sem esquecer dos cuidados necessários. Já sabe quais são eles?

Cuidados com o cãozinho

Fonte: Agnieszka Boeske / Unsplash.com

Cuidados com o cão na hora do adestramento

Buscar orientações de um veterinário ou pessoas que costumam trabalhar com animais é fundamental durante o processo de adestramento de cães. Por mais que você reúna dicas e informações de pessoas que já fizeram em seus bichos, não deixe de buscar orientações corretas, de quem realmente entende.

Antes de tudo, é fundamental que você entenda a importância de respeitar o tempo do animal. Apesar de você conhecer bem as características da sua raça, lembre-se que cada um tem particularidades diferentes e, portanto, merece tratamento diferente. Procure entender como o seu cãozinho costuma atender aos comandos, assim você pode ir mudando suas estratégias.

Se você acabou de pegar o filhote, mas já quer começar a adestrá-lo, tenha em mente que isso vai exigir um pouco mais de paciência da sua parte. Isso é comum porque, na maioria dos casos, os filhotes ainda não sabem de onde vieram, para onde vão e nem o motivo de estarem ali. Eles ainda estão processando a vida e como tudo funciona a sua volta.

Não tenha pressa e nem se preocupe, pois aos poucos você vai entendendo quais as dificuldades e limitações dele, para que possa fazer o trabalho do adestramento de forma mais harmônica para ambas.

Também faz parte dos cuidados básicos uma alimentação nutritiva e um veterinário, além de bastante carinho e atenção. O cão precisa estar bem alimentado e se sentindo amado, para que decida obedecer ao seu tutor na hora em que estiver sendo treinado.

O importante aqui é que você entenda os limites do bichinho e saiba esperar pelo seu tempo. Não desista ou ache que todos os cachorros aprendem, menos o seu. Esse pensamento pode acabar desestimulando você no meio do processo, quando na verdade tudo o que você precisa é de persistência e paciência.